30 de maio de 2016

Creme Protetor para as mãos - Avon Care

Oi gente! Tudo certo com vocês? Faz algumas semanas comprei um creme que queria muito compartilhar com vocês, primeiro devo adiantar, vi muita resenha destacando pontos negativos referente a esse creme, no entanto ao testar tive uma percepção diferente, logo o meu gosto não é igual ao seu, o fato de eu ter gostado e ele realmente estar sendo eficaz para mim, não quer dizer que vai ser a mesma coisa com você.

Como vocês podem ver, o creme é da Avon e trata-se de um tipo de silicone protetor para as mãos.

Segundo o fabricante:
"Silicone forma uma camada invisivel como uma luva que protege a pele do ressecamento causado pelo uso de detergente, sabão e outros agentes agressivos. Absorve rapidamente e proporciona proteção e hidratação de longa duração. Ideal para pele seca e extra-seca."

Para quem não sabe, eu tenho a pele oleosa no verão e seca no inverno, o que percebi do produto é que ele é bem consistente (não é aguado), possui uma absorção ótima na pele, isto é, quando passo o creme geralmente estou no trem a caminho do trabalho e a pele absorve rapidamente, dando uma sensação de suavidade e maciez as minhas mãos. Em relação a duração, esse negócio de longa duração é muito relativo quantas horas seriam isso? , mas bem, para mim a duração não chega a duas horas, só que sentir aquela sensação é tão bom que eu uso quase de hora em hora. Hehe

No geral ele mantém minhas mãos bem hidratadas e com aquele toque aveludado. O creme ainda tem filtro solar para dar mais proteção à pele. Ele pode ser comprado com revendedoras Avon ou em lojas que revendem produtos da marca. Está disponível em 90g e de 130g. Esse de 90g paguei em torno de R$ 7,00, achei um preço bem bom pela qualidade e durabilidade do produto, ressaltando que já estou com ele a uns 2 meses. :)

Então, já conheciam esse creme? O que acharam dele?

Se quiser me acompanhar nas redes sociais:

Snap: franciklein @delirioscotidianos_fk Youtube

27 de maio de 2016

A vida que vale a pena ser vivida

Dias atrás, numa quinta-feira a noite, eu faltei a aula de Economia Internacional na faculdade para ir assistir a uma palestra de um professor que gosto bastante. Clóvis de Barros Filho, conheci através do youtube já faz alguns anos, mas sabe, fazia tempo que não parava para pensar no assunto que o professor e filosofo tem como foco "A vida que vale a pena ser vivida". 

O tema da palestra era voltado ao mercado de trabalho, mas quem diz que isso não difere na nossa felicidade, não é mesmo? O professor aborda o assunto de maneira irônica e bem-humorado, o que já é um ponto positivo, sem contar que a fala dele é meio engraçada. Hehe

Ele iniciou falando de Aristóteles e seus pensamentos, comparando nossa vida com a vida de uma planta. Aristóteles  diz que a muda de uma planta já contem tudo que uma grande árvore precisa, você espeta essa muda no solo e dia-a-dia ela vai ganhando vida e tornando-se uma grande árvore e se nada de muito ruim acontecer, essa muda irá atingir o máximo que sua natureza permite. Ou seja, uma pequena samambaia vai querer se tornar uma grande samambaia e não uma goiabeira. Conosco acontece parecido, cada um de nós tem tudo para se tornar uma pessoa excelente (que desabrochará no máximo suas possibilidades naturais). Logo, cada um de nós possui uma natureza própria, alguns possuem talento para o desenho, outros para a dança, para a matemática e é nisso que devemos focar, identificar aquilo que nos faz feliz e nos especializar nisso. Só assim estaremos no caminho para uma vida plena. Acontece que nem sempre é assim tão fácil, às vezes os recursos para sabermos qual é a nossa praia são escassos, ou não são acessíveis a todos, nem tudo depende apenas de nós e nossa boa vontade. Acontece que temos que continuar tentando, não podemos viver esperando pela sexta-feira depois do horário de trabalho, viver querendo chegar o dia de pagamento, o final de ano, as férias... Podemos não nos dar conta, mas estamos querendo que a vida acabe rápido e só tem uma explicação para isso, estamos vivendo uma vida fracassada. Por isso, não podemos lutar contra nossa natureza, temos que lutar e lutar por aquilo que gostamos, buscando nossa excelência, só assim estaremos vivendo um dia de cada vez e os aproveitando de fato.

Como dizia Aristóteles "Se a vida é ruim a gente torce para acabar rápido". Então, chega de continuar levando a faculdade, o trabalho, aquilo que não gostamos com a barriga! Vamos sair da nossa caixinha, da nossa zona de conforto e ir em busca daquilo que nos faz sentir de bem com si mesmo, aquilo que nos faz levantar cedo cheio de ideias, aquilo que nos faz apreciar todas as horas do nosso dia!

Ps.: Gostei tanto da palestra que tinha que compartilhar com vocês, queria que ela não acabasse, minha vida valeu a pena durante aquelas 4 horas.

 QUANDO NÃO QUEREMOS QUE ALGO ACABE É QUE SABEMOS QUE NOSSA VIDA ESTÁ VALENDO A PENA!

Se quiser me acompanhar nas redes sociais:

Snap: franciklein @delirioscotidianos_fk Youtube