Grandes recompensas não vem sem sacrificios

Faz tempo que eu vinha reclamando da vida que estava levando, mesmo o destino me sendo extremante bondoso. Reclamava das poucas horas de sono, do quão cedo tinha que acordar, das horas que precisava me manter de pé, do pouco tempo para o almoço, das diversas obrigações que me eram impostas, da falta de cordialidade das pessoas, dos dias de chuva, do trânsito, do calor intenso...

Eu realmente acreditava que a vida, essa senhora seria capaz de realizar os meus sonhos, mesmo insistindo em testar nossas reais vontade, achava, que a vida por obrigação, deveria me estender o tapete vermelho do comodismo e, ao invés de continuar me abrindo janelas, das quais eu, eventualmente deveria pular para ter acesso a possíveis vitórias, ela deveria arreganhar belas e majestosas portas. Tosco, não?

Precisei parar de enxergar beleza na vida para entender que realizar sonhos não tem nada a ver com fazer isso de forma fácil, simples e extremamente indolor. Como os antigos diziam: - grandes recompensas não vêm sem grandes sacrifícios. Significantes vitórias não chegam sem que eu antes abdique de enormes vontades. É preciso perder menos tempo reclamando e gastar mais tempo agindo, se eu quiser chegar a algum lugar.

Depois que todas essas fichas foram caindo como quem brinca de levantar dominós e fazer deles cascata, comecei a policiar os meus pensamentos. Entendi que tudo, completamente tudo na vida tem energia. Seguindo essa lógica, cuidar dos pensamento é o primeiro passo. Eles, talvez, tenham as maiores forças da natureza. Só que a gente menospreza. A gente, de um jeito feio e pouco sensato, acaba pensando besteiras demais e entupindo o nosso fluxo de más vibrações, impedindo assim que as as coisas boas aconteçam.

A partir disso comecei a agradecer. Agradecer, pois sei que tenho conquistado muita coisa. Dados passos largos, ainda que a olho nu, eu não tenha saído do lugar. A gente perde tempo demais reclamando do sol, da chuva, do frio, do calor, do vento, das poucas horas de sono, das muitas horas de pé, dos compromissos, das obrigações, das poucas horas de lazer, mas... viver é isso. É saber renunciar. Principalmente as coisas que drenam o nosso curto tempo.

Hoje, diante da quantidade de sonhos que tenho, não vou reclamar sem agir. Nem dormir e me deixar levar pela preguiça, ou pelo comodismo. Pode até acontecer de eu pegar no sono esperando o meu ônibus passar, mas quando minha hora chegar, ah... quando minha hora chegar, cada segundo de sacrifício terá válido a pena.

Se quiser me acompanhar nas redes sociais:

Snap: franciklein @delirioscotidianos_fk Youtube

6 comentários:

  1. Belo texto! Parabéns.
    Boa semana.

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu também ando reclamando muito e ler esse texto veio a calhar nesse momento. Adorei :3

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  3. ótimo texto!!! Olha, já me deixei muito "a vida me levar" e quando vi que ela não estava me levando a lugar algum, resolvi acordar e batalhar!!! Bons resultados só vem através de trabalho (mental e corporal). O importante é não deixar o comodismo tomar conta!

    Bjinhos,
    ❥Blog Amiga Delicada ❥ Fanpage ❥ Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí amiga delicada, temos que trabalhar muito mente e corpo! :)

      Excluir